Contatos
Av. 5 de Outubro, 142, 1º dto
1050-061 Lisboa

(+351) 217 973 057
info@crm.pt
Deseja contatar-nos?

Motoristas da Assembleia da República em formação

Dois grupos de profissionais participaram nos cursos para aumento da eficiência na condução de PHEV (híbridos Plug-in)


 

Sendo parte da frota da Assembleia de República constituída por viaturas BMW e330, híbridas plug-in com motor a gasolina, enquadrado na política pública de eficiência energética e do objetivo Emissões Zero previsto para 2050.

As viaturas com motorização elétrica ou híbrida exigem um estilo de condução diferente de todas as outras de motores de combustão e vêem a sua autonomia posta em causa quando aplicamos o estilo de condução a que estamos habituados com as viaturas a gasolina, gasóleo ou GPL.

 

   

 

As diferenças começam logo pela caixa automática que por si exige uma utilização do acelerador/travão de forma diferenciada de um veículo de caixa manual, pela forma como aumenta a velocidade, como a mantem e por ser possível regenerar energia em determinados momentos, que dependem da forma como se desacelera ou trava.

Também a seleção de percursos pode obedecer a critérios diferentes daqueles a que nos habituámos, por um lado considerando os locais e duração dos abastecimentos e porque os momentos de consumo e de regeneração dos quais depende a autonomia, resultam do relevo, do trânsito e de outros fatores ambientais.

 

 

Outra faceta da condução deste tipo de viaturas que deve ser tomado em consideração, é a sua limitada autonomia elétrica, pelo que a utilização da motorização elétrica deve considerar particularmente os locais onde se pretende circular no modo elétrico.  Se a distancia total da viagem estiver fora do valor da autonomia elétrica, então terá de selecionar onde pretende usar o motor elétrico, por exemplo dentro das zonas urbanas, e recorrer ao modo combustível em estrada ou auto estrada.  E claro que poderá sempre recorrer ao modo “save” para recarregar as baterias enquanto se desloca com recurso ao motor a combustão.

 

CR&M – MAI/19